terça-feira, 26 de agosto de 2008

Crescimento virtual

Com cerca de 50 milhões de computadores no ambiente doméstico e corporativo, segundo divulga a Fundação Getúlio Vargas, o Brasil já contabiliza, de acordo com recente pesquisa, 47% dos seus habitantes com acesso à internet. Além disso, é o País no qual os usuários passam mais tempo conectados por mês. São mais de 22 horas mensais, contra 20 horas registradas na França e 17,5 horas na Alemanha.

No momento, existe a média de 26 computadores para 100 habitantes, valor acima da média global, que é de 21 unidades para cada centena de pessoas. A previsão de vendas para 2008 é de 13 milhões de unidades. Tais índices dão ao Brasil, conforme a Internet World Stats, um dos maiores crescimentos internacionais no acesso virtual. Nos últimos oito anos, o número de conectadores cresceu 900%.

Impressionantes dados à parte, ressalta a necessidade de um inadiável questionamento: até que ponto esse fenômeno estará contribuindo no comportamento e na qualificação intelectual de tão expressivo segmento da população? A maioria dos estudiosos do tema concorda que a nova realidade não se delineou, com a necessária precisão, para proporcionar a plena definição do seu significado.

Um dos dados indiscutíveis dos benefícios trazidos pelo uso da internet é a possibilidade de acesso instantâneo a uma gama imensa e diversificada de informações. Embora nem todos façam uso desse novo instrumento para adquirir ou ampliar conhecimentos, nem em busca de subsídios para melhorar a qualidade de vida, não se pode contestar a inegável contribuição proporcionada por tão prático e difundido avanço tecnológico.

Para demonstrar até que ponto a internet pode influir como ferramenta educativa, especialistas apontam o exemplo registrado em Sud Mennucci, município a 614 quilômetros de São Paulo e uma das 37 cidades do País onde o Ministério da Educação avalia o resultado de práticas educacionais. No referido município, os índices de analfabetismo caíram à metade, em apenas cinco anos, decorridos desde a instalação de conexão da internet sem fio. Resultados semelhantes foram observados em outras cidades brasileiras pesquisadas.

Com novos programas de banda larga do governo federal, em parceria com empresas privadas, objetivando levar a internet a 55 mil escolas públicas até 2010, um novo e importante passo poderá ser consolidado no setor. No estado do Ceará, o governo tem o projeto do cinturão digital, para prover acesso à internet aos estudantes, aos órgãos públicos e aos que não podem pagar pelo serviço.

O que ainda se discute sobre o crescente acesso virtual se relaciona à credibilidade de certas informações, algumas delas possivelmente manipuladas, até mesmo de má-fé. Espera-se que, com o passar do tempo e as crescentes possibilidades de interação por meio da internet, os próprios usuários, através de campanhas de esclarecimento e informações repassadas entre as comunidades respeitáveis do mundo virtual, saibam separar o joio do trigo e, na medida do possível, referendar apenas o que realmente contenha caráter fidedigno e idôneo.

Nenhum comentário: