segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Programa decifra linguagem dos bichos


Pesquisadora da Unicamp diz que é possível identificar até medo.
Software pode ser aliado na produção de alimentos.

De ouvido, os sons que os animais fazem parecem todos iguais. Mas não são. A pesquisadora da Unicamp, Irenilza Alencar Naas, decidiu desenvolver um programa de computador para traduzir os barulhos que os bichos fazem.

“Podemos entender o que o suíno está tentando nos dizer, o que o bovino de leite está tentando nos dizer, quando a vaca está com fome a gente sabe, quando o leitãozinho está com fome a gente sabe, ou quando ele está com frio, ou com medo, é capaz de identificar isso”, explica a pesquisadora.

“Esse software para nós é muito importante. Vai ser um aliado para produzir cada vez um animal com menor nível de estresse possível", comenta o gerente de produção de granja Aldo Morais.

O ator Stênio Garcia tem cachorros, gato, jabutis e peixes em casa. Conversa com toda a bicharada e chega até a passar texto com eles. “Eu passo o texto e ele fica muito atento, por exemplo, uma cena mais afetiva, uma cena de emoção, ele fica muito ligado. Eu já observei. Eu passo pra ele, eu sei que ele gosta daquilo”, comenta o ator.

Mas tem bicho que vai além do miado e do latido tradicionais. A pesquisadora da Unicamp Irenilza Alencar Naas garante que um equipamento parecido pode ser desenvolvido para saber o que dizem gatos e cachorros também.

“Pode ser feito para qualquer animal. É uma questão de ter registros suficientes que nos permitam separar essa situação e depois aplicar para os animais domésticos no lar”, aponta Irenilza.

Mas para alguns donos, é melhor ficar tudo do jeito que está. Afinal, melhor amigo é aquele pra quem você pode contar seus segredos e ter garantia de sigilo total. “Eu posso até me sentir inibido de falar meus problemas para o meu pai, para minha mãe, para minha irmã. Eu prefiro desabafar com meus cachorros que eles são segredo de sete chaves”, diz o estudante Yuri Habib.

(G1)

Nenhum comentário: