terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Cafés e aeroportos poderão contar com eletricidade sem fio



Nova tecnologia permitirá carregar celulares, tocadores de MP3 e até laptops sem conexão com tomada ou fios

Nada de cabos, chega de pilhas, carregadores e fios. O conceito de eletricidade que viaja pelo ar para ligar equipamentos é uma das grandes apostas dos fabricantes de produtos eletroeletrônicos a partir de 2009. Batizada WiTricity, a energia sem fios será apresentada na edição da Consumer Electronics Show 2009, em Las Vegas.

A feira, que acontece de 8 a 11 de janeiro, vai mostrar como a tecnologia WiTricity pode funcionar. Produtos como as molduras para fotos digitais e alto-falantes seriam os primeiros produtos da lista.

Segundo o jornal inglês The Guardian, a eletricidade caminharia pelo ar para laptops, iPods e outros gadgets sem a necessidade de cabos ou tomadas. Cafés e terminais de aeroportos que oferecem o sistema wireless (internet sem fio), poderiam ser os primeiros locais de teste da tecnologia.

O editor do site Electripig, James Holland, disse ao jornal que consumidores poderiam comprar uma mesa que forneceria eletricidade para qualquer equipamento que ficasse sobre o tampo.

“Se cada ambiente tivesse energia sem fio, você saberia que no momento em que passasse pela porta, o seu telefone celular começaria a ser carregado – mesmo que estivesse na mala ou no seu bolso. Você nunca mais teria de perder tempo procurando um carregador”, disse Holland.

Entre as empresas que vão mostrar a tecnologia WiTricity na CES estão a PowerBeam, cujo sistema transforma eletricidade em um laser invisível, que literalmente se transforma em calor acionando células de energia solar que a convertem novamente em eletricidade.

David Graham, da PowerBeam, promete “apagar a palavra recarregar do dicionário”.


A empresa usa um laser para gerar 1.5 watts de energia para uma célula solar localizada a 10 metros de distância, o suficiente para gerar energia para um alto-falante ou luzes. Ainda não é suficiente para um laptop, que precisaria de 30 a 50 watts. Mas os especialistas acreditam que isso logo seria possível.

A empresa garante que a WiTricity será eficiente para carregar todos os aparelhos necessários – e somente quando necessário. As ondas eletromagnéticas e emissões de energia seriam captadas apenas pelos aparelhos desenhados para interagir com o WiTricity.

A tecnologia foi criada e testada pelos Departamento de Física, Engenharia Elétrica, Nanotecnologia e Ciência da Computação do Massachussetts Institute of Technology (MIT), nos Estados Unidos. Liderada pelo Prof. Marin Soljacic, a equipe formada por Andre Kurs, Aristeidis Karalis, Robert Moffatt, Prof. Peter Fisher e pelo Prof. John Joannopoulos demonstrou que a emissão de eletricidade podia acender uma lâmpada do outro lado da sala.

Assista a um vídeo que explica a tecnologia WiTricity no YouTube.



(Época)

Nenhum comentário: