sábado, 27 de setembro de 2008

Speedy enfrenta instabilidades para alguns usuários do interior de SP




Alguns usuários residenciais e corporativos do Speedy, da Telefônica, no interior de São Paulo estão sem serviço desde a última quinta-feira (18/09).

Clientes da cidade de Tremembé afirmam que o Speedy saiu do ar na manhã do dia 18 e estava sem serviço até a tarde desta quarta-feira (24/09). Em consulta ao call center, os usuários foram informados que o programa envolvia alguns usuários das cidades de Lorena, Taubaté e Pindamonhangaba.

Procurada pela reportagem do IDG Now!, a Telefônica informou que o programa não foi generalizado. "A Telefônica informa que não há nenhum problema generalizado relacionado ao Speedy em cidades do Vale Paraíba. Pode haver, como ocorrem normalmente, eventuais problemas pontuais com alguns clientes."

Em Pindamonhangaba, o usuário Rogerio Cunha ficou sem acesso ao Speedy desde sexta-feira (19/09). "A operadora informou que estava com problemas na rede e que irá reembolsar o valor referente aos cinco dias sem acesso", informou Cunha ao IDG Now!. Ele paga uma mensalidade de 69 reais por um plano de acesso residencial com velocidade de 1 Megabit por segundo (Mbps).

"Na terça-feira pela manhã, a emissora de televisão regional viria aqui na empresa fazer uma reportagem sobre a pane. Enquanto a TV estava aqui, o serviço voltou. Porém, às 16h30 a internet sumiu novamente e não voltou mais", relata Henry Maesima, diretor da agência de comunicação digital em Tremembé que já estima seus prejuízos em mais de 10 mil reais com a falha na internet.

Maesima conta que, desde que o sinal Speedy desapareceu, ele tem entrado em contato com o serviço de atendimento da Telefônica. A resposta que recebe é que o problema está na rede o serviço retornará em duas, três e até cinco horas. Mas isso o problema se estendeu por quase uma semana.

Em julho deste ano, a Telefônica sofreu a maior pane no Speedy, deixando milhares de usuários da cidade de São Paulo sem internet durante quase dois dias - a instabilidade do serviço durou mais alguns dias.

Na ocasião, a empresa atribuiu o problema a uma falha em um roteador da rede MPLS, localizado na central telefônica de Sorocaba, interior de São Paulo.

(IDG Now)


Nenhum comentário: